sexta-feira, 22 de março de 2013

Dawkins afirma: "feto humano tem menos valor do que um porco"



Dawkins: "feto humano tem menos valor do que um porco"

O ateu Richard Dawkins proselitista decidiu sacudir as gaiolas, afirmando em seu Twitter que um porco é mais humano do que um feto humano. Da sua Tweet:
“Com relação aos significados de "humano" que são relevantes para a moralidade do aborto, qualquer feto é menos humano do que um porco adulto.”

Dawkins em sua loucura, compara um ser humano com um porco, afirmando que o feto antes de ter cérebro não sente dor. E, claro, biologicamente, que é campo de Dawkins, é um total absurdo. Na verdade, ele erra em sua biologia do ensino médio com este Twitter:

"Humanos" funções relevantes para a moralidade do aborto incluem a capacidade de sentir dor, para ser lamentada por outros.


As opiniões de Richard Dawkins, ou de outro idiota qualquer, não me incomodam. Sempre existiram burros, e como escreveu C. Cipolla, a percentagem de estúpidos em circulação é sensivelmente idêntica em todas as sociedades de todas as épocas. O que me incomoda é caixa de ressonância dos incautos que o seguem, porque entre os pasquins — como, por exemplo, o jornal Público — a percentagem de estúpidos é superior ao normal; outras vezes propositada quando alinhada com um certo niilismo ético de uma política cultural de “terra queimada”.

Quando dizemos que “aquele animal sente dor”, essa nossa constatação é intuitiva.
Do ponto de vista estritamente do método científico positivista, nenhum cientista pode verificar e confirmar que um animal sente dor. O cientista pode inferir a dor de um animal, mas essa inferência tem origem intuitiva, e não uma origem estritamente científica no sentido de verificação empírica e positivista.

A presumível dor de um ser não é um critério científico — em sentido estrito do método científico — para estabelecer razões para o aborto ou para a eutanásia. A constatação da dor de um qualquer ser é intuitiva, e por isso, do domínio da ética, e logo, do domínio da filosofia. Quando a ciência diz que “um feto humano não sente dor”, incorre em um grave erro e abuso metodológicos.
Idiota. A capacidade de "sentir dor" não tem nada a ver com o "ser humano", biologicamente ou moralmente. Todos os mamíferos sentem dor.  Ele utiliza sua biologia lixo para chamar um feto humano apenas "potencialmente" humano:

“É claro potencial para ser humano está entre qualidades feto. Mas minha comparação porco teve o cuidado de especificar "relevante para a moralidade do aborto".

Qualquer livro de texto embriologia dirá Dawkins que é um absurdo. Um feto humano é plenamente humano "." Então é um embrião humano. Então, é um zigoto humano. Conforme Embriologia Humana e teratologia  (página 9) coloca:

Em circunstâncias normais, um organismo geneticamente distinto humano é formado quando os cromossomos da mistura pronúcleos masculino e feminino no ovócito. Isto continua a ser verdade mesmo que o genoma embrionário não é realmente ativado até 2-8 células estão presentes, em cerca de 2-3 dias ...

Apesar dos vários marcos embrionárias, no entanto, o desenvolvimento é um processo contínuo em vez de um processo solitário, e portanto a seleção de eventos pré-natal parece ser em grande parte arbitrário [para determinar se um organismo humano é "uma pessoa humana no sentido filosófico."]

Eu diria que inclui também o momento em que um feto pode sentir dor. E típico desta linha de sofisma, ele afirma unhas são "humanos".

Meu cabelo e unhas são humanos, mas não sinto dor quando eu cortá-los. Embrião, antes do cérebro se desenvolver não sentir dor. Feto tarde? Porco?
CLIQUE e leia: PRO-VIDA ! 

Não, eles são células humanas que vêm de um organismo que é um membro da nossa espécie. Um ser humano é um organismo de nossa espécie . Dawkins não é mais humano hoje do que quando ele era um organismo unicelular em trompa de Falópio de sua mãe. Talvez não mais moralmente astuto, também.

Por isso é que Richard Dawkins é perfeito idiota, pra não dizer burro, porque ele deveria estar concentrado na verdadeira biologia em vez de se meter pela filosofia adentro. Porém, para além de burro, é estúpido, porque ele consegue intuir a dor de um animal qualquer, mas já não consegue intuir a presença de um ser humano num feto humano. 

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário