quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Será mesmo que a PLC 122 foi sepultada, ou é só uma jogada para algo pior ?

 PL122 foi sepultada. Vitória? Não! Agora é a "Lei Alexandre Ivo" que já está sendo elaborada!


Depois de longos 7 anos, a PL122 está definitivamente derrubada! Mas devemos tomar cuidado...
Vejo grande parte dos cristãos que faziam oposição à este projeto de lei, cantando vitória, como se fosse uma grande dádiva de 'Deus'...

Será mesmo?
Ou tudo isso não passa de jogo político de Dilma, para tentar conservar a imagem de sua campanha perante os cristãos, visando as eleições de 2014?

O PL122, que resistia desde 2006, foi sepultado sim, porém as leis "contra a homofobia" que criminaliza uma simples opinião, crítica e oposição contra o comportamento homossexual, foi apensado, ou seja, anexado ao novo código civil... ainda existe uma possibilidade deste texto voltar.

Outro motivo para nos atentarmos também, é que já existe pronto para ser votado a 'Lei Alexandre Ivo', a exemplo da Lei Maria da Penha, lei que tornou mais rigoroso o tratamento de crimes cometidos contra a mulher. O nome da lei foi colocada em homenagem ao adolescente que foi assassinado supostamente por ser gay.

O novo texto do projeto foi elaborado em um trabalho conjunto com os senadores Demóstenes Torres (DEM-GO), Marcelo Crivella (PRB-RJ) e com o presidente da Associação de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ALGBT), Toni Reis.

Agora o projeto está sob análise dos integrantes da Frente Parlamentar Mista LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), o texto substitui o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006, de autoria da ex-deputada lara Bernardi, do qual Marta é relatora.
Devemos compreender que os globalistas não desistirão até estabelecer sua agenda imoral!
Não se iludam com os líderes religiosos que estão na mídia cantando uma suposta vitória, que na verdade não existiu!
Confira o restante da matéria:
-----

Na tarde dessa terça-feira (17), o Plenário do Senado aprovou um requerimento do senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), para que a PLC-122/2006, proposta que ficou conhecida como “projeto da homofobia”, seja apensada ao projeto de reforma do Código Penal (PLS 236/2012). Dessa forma, a PLC-122 passaria a tramitar junto com a reforma PLS-236, tendo suas discussões e votações unificadas.

O apensamento, aprovado com 29 votos favoráveis, 12 contrários e duas abstenções, motivou críticas por parte dos senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Paulo Paim (PT-RS), que afirmam que a tramitação conjunta das duas propostas irá enfraquecer o debate sobre a criminalização da homofobia. O simbólico fim da PLC-122 aconteceu pouco depois da orientação feita pela presidente Dilma Rousseff ao Senado para não votar a proposta até as eleições de 2014.

Suplicy pediu a verificação de quórum para que seja realizada votação norminal do requerimento. Já Paim, afirma que o requerimento perdeu o seu objeto, uma vez que a comissão especial de senadores criada para examinar o projeto de reforma do Código Penal já aprovou, também nesta terça-feira, o relatório final elaborado pelo senador Pedro Taques.

Eduardo Lopes explicou seu requerimento afirmando que não há sentido para que as propostas tramitem separadamente, visto que tratam de assuntos correlatos. O senador Magno Malta (PR-ES) manifestou apoio a Lopes afirmando que a criminalização da homofobia depende da tipificação desse crime no Código Penal, o que justifica tal apensamento.

O apensamento da proposta foi bem recebido entre críticos da PLC-122, como o articulista cristão Paulo Teixeira, que comentou a aprovação do requerimento de Eduardo Lopes como o “sepultamento” da PLC-122.

- Com o sepultamento desse famigerado projeto de lei, as famílias brasileiras estão livres de mais um projeto que visava implantar a ditadura gay – comentou Teixeira.

Com informações de: http://noticias.gospelmais.com.br

 Foi fácil demais... O que pode estar por trás do suposto fim da PL 122/06?

LEDO ENGANO VISTO, DE QUE A PL 122 ACABOU. NÃO, SÓ TROCARÁ DE INSTITUIÇÃO!
Por Casando o Verbo

A PL 122 para quem não sabe era a lei que pretendia criminalizar a opinião conservadora que inflige críticas não violentas ao comportamento homossexual, críticas estas em boa parte com fins de conversão de conduta espiritual para a reedificação do indivíduo.
Por um movimento duro e constante da bancada conservadora no congresso, este projeto de lei foi sepultado para sempre.

Porém o que a esmagadora maioria dos conservadores brasileiros não sabe, é que o intento por trás da PL 122 tende a sair do projeto de lei para ser remetido aos tribunais. Ou seja, o que a lei não fez o judiciário fará.

Mas como assim? Isso é possível dentro do nosso ordenamento jurídico?
A esmagadora maioria dos juristas conservadores responderá com um acachapante NÃO, NÃO é possível um crime sem lei anterior que a defina.
É mesmo? Eu digo que é possível.
A maioria dos juristas conservadores é positivista, e isso significa que eles pretendem que o sociedade seja regida pelo direito positivado, isto é, pelo direito escrito em LEIS.

Porém, o que os juristas conservadores, a maioria esmagadora ao menos, não sabe, e disso eu tenho certeza que não sabem,é que existe uma corrente ideológica dentro do poder judiciário, mais especificamente dentro dos tribunais, chamada GARANTISMO.

Mas que raios é garantismo? Em palavras mais simples é o marxismo cultural nos tribunais. Este garantismo nasceu com o iluminismo francês e foi aprimorado com as teorias de Gramsci.

Mas em termos jurídicos o garantismo é a superposição de princípios constitucionais sobre as leis.
Ou seja, através deste garantismo SE GARANTE ao indivíduo a proteção de um direito individual DELE contra leis que o estado dito opressor lhe impõe.

Alguns dirão - Mas espere aí...Então, se o direito individual prevalece e a livre manifestação da opinião é um direito individual, então não há com o que se preocupar, pois continuará o direito à crítica.

Novamente, ledo engano. Como o garantismo é o instrumento revolucionário dentro da justiça, ele tem por fim destruir qualquer forma de poder sobre o indivíduo e mais que isso, fomentar a revolução que redundará no caos.

O garantismo não respeitará exatamente LIBERDADES, mas como todas as linhas do marxismo cultural, atacará liberdades em favor de libertinagens.

Esta eterna luta em que os conservadores vêm se embrenhado para tentar explicar que liberdade difere de libertinagem, coisa aparentemente difícil de dissociar, também não é compreendida por muitos juízes, promotores, advogados e outros juristas, que se julgam eruditos, cultos, etc.

A existência escancarada do garantismo é considerar, COMO PÔDE o STF possibilitar a união civil homossexual se a C.F. é expressamente contra! Através do garantismo.
Garantiram a estes indivíduos esta "liberdade" e esta "igualdade" revolucionária dizendo que os princípios constitucionais podem declarar que a própria constituição é inconstitucional.

Ou seja, o que a C.F. prevê não vale quando vai contra os princípios da C.F.

Para o bem da verdade, como os princípios constitucionais são duais ou melhor de interpretação NO MÍNIMO dúbia, e isso TODOS eles...no final quando o garantismo for totalmente instalado nos tribunais brasileiros, o congresso se tornará inútil, pois quem legislará será o próprio juiz à sua bel interpretação dos princípios.

Claro, que a interpretação das causas de interesse maior ficará SEMPRE nas mãos do STF, pois já premeditadamente o sistema marxista implantou o que chamamos de Súmula vinculante, obrigando TODOS os juízes do Brasil a decidirem VINCULADAMENTE à decisão já exarada na Súmula Vinculante do STF.

Assim meus amigos, tudo o que o congresso barrar, a justiça garantista GARANTIRÁ.

O fim de tudo isso será a revolução armada, seguida do derramamento de sangue, pois a falência do sistema positivista vem pelo garantismo que impede por exemplo, o estado de punir criminosos adequadamente, estimulando o crime e o caos, considerando que os criminosos são frutos primeiramente da opressão capitalista, e depois vítimas do sistema jurídico burguês que pretende puni-los.

Esta é minha opinião, é um alerta aos juristas que, educados em faculdades marxistas nunca sequer ouviram falar em garantismo e um alerta à nação de que só haverá volta de todo este caos através de um milagre de Deus, que, sinceramente, não vislumbro, considerando que a vontade CEGA do povo brasileiro não é ser agraciada com este milagre.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário