sexta-feira, 6 de abril de 2012

O setor LGBT do PT critica Lindbergh Farias por apoiar o Pastor Silas Malafaia



A Folha On Line, noticiou hoje que o setor LBGT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) do PT, divulgou uma nota ontem (5 de abril) criticando o senador petista, Lindbergh Farias (PT/RJ), por ter defendido em plenário o pastor Silas Malafaia na última terça-feira ao comentar discurso do senador Magno Malta (PR/ES) no qual ele criticava ação do Ministério Público Federal em São Paulo contra o pastor.

A nota do setorial LBGT do PT, assinada por Julian Rodrigues, entre outras coisas diz o seguinte:
"(Lindbergh) se afasta enormemente das posições do partido"

"Não há cálculo político ou eleitoral que justifique essa ruptura com os princípios do PT e com a própria trajetória do senador"

E apela para que Lindbergh "se debruce um pouco mais sobre as posições do Malafaia" que seriam "incompatíveis com o Estado democrático de direito"
Rodrigues diz, ainda, esperar que Lindbergh não tenha resolvido "se perfilar com o segundo grupo de políticos fluminenses, inimigos dos direitos humanos"E que "A fala do companheiro Lindbergh se torna ainda mais grave por ignorar e desconsiderar o cerne do debate sobre o PLC 122, que é a interdição dos discursos que incitam a violência utilizando-se do pretexto da liberdade religiosa"
A Procuradoria pede a retratação de Malafaia por um discurso considerado homofóbico feito em julho de 2011 no programa "Vitória em Cristo".

O pastor falava sobre a Marcha para Jesus e a Parada Gay, eventos que aconteceram em junho em São Paulo, e disse que a Igreja Católica deveria "baixar o porrete" em participantes da Parada Gay que "ridicularizaram símbolos da Igreja Católica". "É para a Igreja Católica 'entrar de pau' em cima desses caras, sabe? 'Baixar o porrete' em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha", afirma o pastor no programa.

Lindbergh disse, no plenário, que não considerou a expressão "entrar de pau" uma maneira de incitar a violência física contra os homossexuais, como argumenta o Ministério Público. Ao afirmar que leu todo o processo contra o pastor, Lindbergh disse que houve intolerância com Malafaia.

"Eu não vi em nenhum momento, li com atenção, nenhuma incitação a esse "cair de pau" como agressão física. Não aceito nenhuma tipo de discriminação contra homossexual e nenhum tipo de violência. Existe violência, sim, neste país pelas pessoas serem, simplesmente, homossexuais. Mas acho sinceramente que, neste caso do pastor Silas Malafaia houve intolerância com o pastor e quero aqui trazer a minha solidariedade a ele", disse o petista no plenário.

O PT apóia a PLC 122 que criminaliza a homofobia e as idéias filosóficas contra homossexualismo, ponto em que o pastor Silas Malafaia é contra pois acredita que esta lei criaria cidadãos mais privilegiados que outros, pois poderia criticar comportamento de políticos, padres, pastores entre outros e não se poderia criticar comportamento homossexual.

Esta não é a primeira vez em que integrantes do PT se posicionam contra evangélicos, em fevereiro, a coluna de Reinaldo Azevedo da Revista Veja, noticiava que o secretário-geral da presidência da república, Gilberto Carvalho disse no Fórum Social de Porto Alegre que “É preciso fazer uma disputa ideológica com os líderes evangélicos pelos setores emergentes!” e que segundo o colunista, seria uma forma de anular as lideranças evangélicas, o que acabou em pedido de desculpas por parte do secretário a bancada evangélica após a presidente Dilma se manifestar dizendo que esta posição não seria a posição do governo.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário